VALOR EXATO: Reflexão e Revisão

Uma abordagem parecida com esta temática foi tratada em outra oportunidade neste espaço. Mas, o contexto é absolutamente diferente no presente. Em momentos tão decisivos é fundamental reunirmos o que há de melhor dentro de nós, sejam ideias, recursos e disposição. Algum exercício físico, limpeza de ambientes, de locais que tenhamos esquecidos e o aproveitamento do convívio com que estamos próximos são possibilidades.

O convívio mais reservado com familiares é raro para muitas pessoas. É esse convívio que mostra nossas limitações, ansiedades, alegrias e temores. Em geral, nos dedicamos excessivamente para as relações de trabalho ou de atividades externas que realizamos.

O período da quarentena poderá ser mais longo que desejamos e isso nos levará a enfrentar limites. A reflexão do que surgirá como  uma dificuldade ou limitação também se expressa no nosso cotidiano, inclusive nas relações de trabalho.

Decisões que conduziram a diversas consequências podem parecer um resultado do acaso e as decorrências algum incidente. As experiências à frente de atividades empresariais nunca foram simples. Conduzi-las sempre exigiu equilíbrio. A questão é: tivemos este equilíbrio para chegar até aqui? Que reflexão fazer?

O que mais nos incomoda surge naturalmente em tempos de isolamento. Segundo Nelson Mandela em seu livro  “Conversas que tive Comigo” que relata seu período na prisão ao longo de 28 anos.

Mandela levou a introspecção ao limite para reavaliar sua conduta, as razões que despertava rancor e ódio e porque tinha inimigos. Esse trabalho exige tempo e não é simples, pois está baseado na reflexão e revisão.

Por mais intelecto que possa existir as relações são moldadas por muitos aspectos e na dimensão econômica somos regidos pelos contratos. Neste momento temos de conviver com laços de outra natureza, não contratuais simplesmente, pois o fluxo da renda circular está se reduzindo e devemos substitui-los pela compreensão e solidariedade.

Sem o fluxo de renda as condições necessárias para a normalidade se tornam mais adversas e por esta razão teremos de criar alternativas. Na questão da saúde, temos o número de profissionais necessários? Podemos contribuir com eles? Como colaborar com o trabalho intenso que realizam?

Ao enfrentarmos nossas limitações teremos condições de oferecer algo ao coletivo e assim proporcionar colaborações inestimáveis. Naturalmente seremos os maiores beneficiados, pois nossa resiliência será fortalecida.   

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Dúvidas?