INFORMATIVO ECONÔMICO ACISC – 16 de setembro

Conjuntura Empresarial no Estado de São Paulo e São Carlos

 

O IBGE divulgou no dia de hoje, 15/09, as evidências da pandemia para as empresas brasileiras segundo o porte, setor de atividade e região para a primeira quinzena do mês de agosto.  Trata-se da Pesquisa “Pulso Empresa” que tem a finalidade de acompanhar os efeitos da pandemia sobre os negócios no Brasil.

Do total das empresas por região, pelo menos 40% do Norte, Centro-Oeste, Sudeste e Sul declararam ter registrado efeitos negativos em suas vendas derivados da pandemia. Por outro lado, somente 20,4% das empresas do Nordeste registraram esses efeitos negativos! E nessa região 52% das empresas apontaram efeitos positivos para os negócios durante a pandemia!

Na Tabela 1 verifica-se que 67% das empresas de pequeno e médio porte foram as mais afetadas negativamente com relação às vendas na primeira quinzena de agosto com relação a quinzena anterior. Para os setores produtivos, a percepção de redução das vendas no comércio atingiu 46% das empresas entrevistadas. O destaque para os segmentos de comércio foram o varejista (48,9% e comércio de veículos, peças e motocicletas 43,7%). Já para 41,3% das empresas de Serviços, 39,4% de Indústria e 45,2% de Construção, ressalta-se a maior incidência de efeitos pequenos ou inexistentes sobre as vendas, em relação a quinzena anterior.

Quase a metade das empresas da construção civil distribuídas pelo Brasil registraram resultados negativos em suas vendas. Além disso, a construção civil foi o setor com menor porcentual de empresas com registros positivos derivados da pandemia.

O setor de construção civil é importante para multiplicar a renda setorial, logo, há um prejuízo para a geração de renda e emprego em termos da conjuntura quando há redução da construção civil.

Os dados da Tabela 1 podem ser utilizados como uma referência para as atividades econômicas de São Carlos por analogia.  Pode-se inferir que um grande contingente de empresas foi afetado tanto na indústria, quanto no comércio e nos serviços.

Um atenuante é a estatística recente dos pedidos de Seguro – Desemprego do Ministério do Trabalho de São Carlos que apontou 381 solicitações de Pedidos de Seguro Desemprego para a segunda quinzena do mês de agosto de 2020 contra 402 da segunda semana de agosto de 2019.

Em termos do ICMS efetivamente arrecadado no município a queda da arrecadação em junho com relação a janeiro de 2020 foi de 47%. São Carlos pertence a 15ª Região Tributária do Estado São Carlos, com 37 outros municípios. O conjunto da 15ª Região registrou queda de 25% do ICMS arrecadado no mesmo período, o que demonstra efeitos assimétricos entre cidades e negócios.

A Capital do Estado, São Paulo, registrou queda de -0,2% entre junho e janeiro de 2020. Em todas as regiões, inclusive São Carlos, as maiores contrações econômicas e de arrecadação do ICMS ocorreram nos meses de abril e maio. Simetricamente, no mês de junho a arrecadação do ICMS nessas regiões cresceu em relação ao mês anterior.

Com base nesses elementos e na análise realizada no Informativo Econômico ACISC de 08 de setembro sobre o comportamento da Indústria, confirma-se o cenário de estabilidade econômica das atividades locais, com propensão à melhorias para o último trimestre do ano.

 

_________

O Núcleo de Economia da ACISC é fruto de um convênio entre a Associação Comercial e Industrial de São Carlos (ACISC) com o Núcleo de Conjuntura, Finanças e Empreendedorismo do Departamento de Economia da UNESP Araraquara e conta com a coordenação do Prof. Dr. Elton Eustáquio Casagrande e supervisão do presidente da ACISC, José Fernando Domingues.

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Dúvidas?