ACISC

Certificado Digital

 

Para ACISC, renegociar dívidas é o primeiro passo para enfrentar novas contas de início de ano

 
03/02/2012
 

Encarar as contas típicas dos primeiros meses do ano - IPVA, IPTU, material escolar, matrículas e o extrato do cartão de crédito, geralmente recheado com as compras de Natal - não é simples quando o 13º salário pode ser apenas uma vaga lembrança na conta corrente. Mas a situação pode se tornar ainda mais complicada se, além de todos esses cifrões, o consumidor ainda carrega o peso de dívidas não honradas em 2011.

A orientação da ACISC (Associação Comercial e Industrial de São Carlos) é tentar um acordo junto aos credores. Pelo Código de Defesa do Consumidor, ao ter uma dívida renegociada, a pessoa já tem seu nome retirado da lista de inadimplentes", ressalta Alfredo Maffei Neto, presidente da ACISC.

Neto explica que o primeiro passo é listar as dívidas e identificá-las. "Esse procedimento é importante porque algumas companhias descentralizam o serviço de cobrança, fazendo com que o cliente receba contatos de empresas diferentes sobre uma única conta em aberto. Em seguida, o consumidor deve avaliar as propostas do acordo, levando em consideração o número de parcelas e os descontos oferecidos. No entanto, o mais importante é saber se as novas dívidas que serão assumidas cabem no orçamento. Isso porque renegociar uma conta já renegociada pode não ser tão simples", lembra.

Ainda segundo Neto, para auxiliar os consumidores inadimplentes, a ACISC possui o denominado SCPC | Recuperação, um setor de cobrança especializado que realiza acordos sempre de forma amigável. "Utilizamos um método simples e muito eficaz, que verifica com o consumidor e o lojista a melhor maneira de quitar o débito", completa Alfredo Maffei Neto.

Os acordos ocorrem na Unidade ACISC do Mercado Municipal (Box 2). Mais informações: (16) 3501 5444 e 3501 5252.

 PASSO A PASSO PARA A RENOGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS:

1) Faça o levantamento das dívidas (contas) em atraso;

2) Separe por credor (por loja, por cartão de crédito, por banco);

3) Verifique o valor devido em cada uma;

4) Coloque em uma planilha as contas por credor e os respectivos valores em atraso;

5) Separe as cartas das empresas de cobrança ou da empresa credora por dívida;

6) Atenção: Muitas vezes uma, duas ou mais empresas de cobrança cobram a mesma dívida;

7) Cruze as cartas de cobrança recebidas com o valor devido. Algumas, inclusive, já oferecem uma proposta de negociação, com o último valor que você tem anotado em sua planilha;

8) Monte sua proposta de negociação para cada credor, pensando no que cabe em seu orçamento;

9) Use sinceridade com cada credor. Fale sobre os motivos que o levaram à inadimplência ou ao descontrole financeiro;

10) Não se sinta constrangido por isso. A renegociação de dívidas é um ato que mostra que você tem interesse em pagar o que deve. Muitos bancos já a disponibilizam em sites na internet;

11) Na renegociação, chegue a um ponto comum sobre os valores atualizados da dívida com os credores ou seus representantes;

12) Faça uma renegociação realista, um plano de pagamento que você possa pagar, porque renegociar novamente ficará cada vez mais difícil;

13) Procure renegociar suas dívidas em prazos mais curtos e evite assumir novas compras a prazo neste período. Assim, você faz um sacrifício maior em tempo menor;

14) Valorize e cumpra a renegociação realizada, pois ela é o único caminho para a solução de seus problemas financeiros.

Certificado Digital

 

Portal Educação