Perspectivas Históricas da Economia Paulista e de São Carlos

Por Núcleo de Economia ACISC

Informativo Econômico ACISC – 27 de janeiro, 2022

Elaborou-se para este Informativo uma análise comparativa para os anos de 2012, 2019 e 2021 para o Estado de São Paulo e a cidade de São Carlos. O foco da comparação está em quatro variáveis que oferecem uma visão geral e importante das condições econômicas e sociais das duas regiões.

O período segmentado de três anos específicos oferece uma perspectiva entre 2012 e 2019, antes da pandemia, e depois com os dados de 2021 alcança-se uma perspectiva quantitativa das variáveis em meio à pandemia.

A primeira variável é o Produto Interno Bruto do Estado de São Paulo e São Carlos. Essa informação está restrita até 2019 para a coleta anual. O valor nominal do Produto Interno para ambas as regiões está registrado na Tabela 1. A variação em termos reais compreende a deflação da dimensão nominal. O valor nominal oferece uma visão da dimensão quantitativa do esforço produtivo.

A cidade de São Carlos registrou decréscimo em termos reais do seu Produto Interno, na comparação entre os dois anos, 2012 e 2019. Isso significa que descontada a variação de preços, entre esses dois anos, a geração de riqueza diminui discretamente.

Em setembro de 2021 o PIB do Estado Paulista cresceu 4% com relação ao mesmo mês de 2020. Isso, portanto, significa uma recuperação da atividade econômica, pois em setembro de 2020, o PIB do Estado cresceu 2% com relação ao ano de 2019!

Uma segunda dimensão é o vínculo empregatício. Na Tabela utiliza-se o resultado do Relatório Anual de Informações Sociais, RAIS. Em novembro de 2021, os dados de vínculos formais para o Estado de São Paulo pelo CAGED atingiram 12.989.948, um pouco abaixo do saldo de 2019.

Em São Carlos, os vínculos formais pelo CAGED atingiram 78.931, portanto, bem acima do que havia sido registrado em 2019. Presume-se que o PIB de São Carlos se recuperou a partir de 2019, a exemplo do que aconteceu no Estado. Contudo, a capacidade de empregar com vínculos formais no Estado de São Paulo caiu em relação a 2019 e em São Carlos, os vínculos aumentaram!

Finalmente, apresenta-se na Tabela 3 a evolução do número de empresas na cidade de São Carlos e Estado de São Paulo.

O crescimento do número de empresas, resultado de mais de um CNPJ por empresário, mostra que a evolução em 2021 foi expressiva. A variação com relação a 2012 não deixa dúvidas quanto ao crescimento.

Com a recuperação do PIB do Estado em 2021, as mudanças nas formas ocupacionais e de criação de empresas mais adaptadas deverão no conjunto, formar um quadro melhor para a economia em 2022.

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Dúvidas?