Pedidos de Seguro-Desemprego – uma avaliação

O acompanhamento de variáveis econômicas através de regiões permite a elaboração de análises regulares e a transmissão de conhecimento organizado. Com os dados regionais, as comparações entre regiões se tornam possíveis e isso permite ao leitor considerar sua própria localidade, para interpretar melhor uma realidade econômica.

 

Na análise macroeconômica, as variáveis com recortes regionais explicitam também o andamento comparado de situações variadas. No caso do mercado de trabalho, o número de “Pedido de Seguro-Desemprego” demonstra o fluxo de trabalhadores que perderam ou deixaram as ocupações produtivas no passado recente.

 

Na Tabela 1, apresenta-se os dados trimestrais para os anos de 2020 a 2022 para o Brasil, Estado de São Paulo e cidade de São Carlos.

 

TABELA 1 – Total de Pedidos de Seguro de Desemprego

Regiões

1º Trimestre 2022

1º Trimestre 2021

1º Trimestre de 2020

Brasil

1.754.694

1.454.514

1.588.596

Estado de São Paulo

490.241

440.995

487.376

São Carlos – SP

2.658

2.279

2.588

Fonte: Programa de Disseminação das Estatística do Trabalho, PDET. Ministério do Trabalho.

 

Verifica-se que no primeiro trimestre deste ano, o total de Pedidos de Seguro-Desemprego está maior do que os registrados nos primeiros trimestres de 2021 e 2020, segundo os dados da Tabela 1.

 

É fato que o mercado formal de trabalho, com as ocupações de empregados, (no setor público e privado, trabalho doméstico, trabalho por conta própria e o número de empregadores tem se recuperado.

 

Com a recuperação da atividade econômica ao longo do tempo, a taxa de desemprego tem caído, por exemplo, no trimestre dezembro de 2021 a fevereiro de 2022 a taxa de desemprego atingiu 11,2%. No ano passado, 2021, a taxa de desemprego no mesmo trimestre (dezembro de 2020 a fevereiro de 2021) havia atingido 14,6%.

 

Com os dados de Pedido de Seguro-Desemprego dos três primeiros meses do ano, pode-se especular que a produção – oferta e demanda apresentam dificuldades. O total de pedidos de Seguro-Desemprego no Brasil para o primeiro trimestre de 2022 está 21% maior do que no primeiro trimestre de 2021 e 10% maior do que o mesmo trimestre em 2020.

 

No Estado de São Paulo o número de solicitações de Seguro-Desemprego esteve 11% maior do que o primeiro trimestre do ano passado e sem modificações com relação a 2020. Com a mesma tendência, a cidade de São Carlos apresentou crescimento de 17% de solicitações no primeiro trimestre de 2022 com relação ao mesmo período de 2021 e 3% a mais do que em 2020.

 

O significado prático dessa movimentação é uma possível redução da atividade econômica. A maior evidência das solicitações recaiu sobre as pessoas entre 1 e 1,5 salários mínimos, com segundo grau completo e com predominância nos setores de serviços (36% das solicitações). O setor do comércio foi responsável por 27,5% e a indústria 16,3%. A construção civil registrou 10% das solicitações e a agropecuária 4,85%.

 

Portanto, é importante que a classe empresarial do varejo esteja atenta com os movimentos mais gerais. O aumento da taxa de juros e o encarecimento do crédito podem ter sido fatores determinantes da queda do emprego, e com isso da inflação.

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Dúvidas?