INVESTIMENTOS NO ESTADO DE SÃO PAULO

INVESTIMENTOS NO ESTADO DE SÃO PAULO E A REGIÃO CENTRAL DO ESTADO

Os investimentos anunciados no Estado de São Paulo pelo setor privado atingiram 47 bilhões de Reais em 2022. O valor representa mais que o dobre do que o valor dos investimentos em 2021, para os mesmos seis primeiros meses do ano. A fonte de informação é do SEADE, com diversos detalhamentos, todos importantes para o conhecimento do setor empresarial (https://repositorio.seade.gov.br/dataset/seade-investimentos.)

Os subsetores que mais receberam investimentos no estado até o mês de junho deste ano foram: 1) Automotivo, 23,9%; 2) Atividades de auxiliares em transportes, 22,9%; 3) Aluguéis não imobiliários; 4) Derivados de petróleo e álcool; 5) Alojamento e alimentação; 6) Bebidas; e 7) Energia e gás.

Os investimentos na região central, que inclui as cidades de São Carlos e Araraquara, totalizaram R$100.000.000,00 no primeiro semestre, mas foram concentrados na cidade de Itápolis, com um empreendimento no setor de serviços, de pesquisa e desenvolvimento no segmento de agrobiológico e sustentabilidade.

Na cidade de São Carlos, os investimentos relevantes ocorreram no ano de 2021, com aquisições de frota de grande monta de patinetes, bicicletas elétricas e veículos para frota. Atividades direcionadas a serviços pessoais como lavanderias, atacados de alimentos, perecíveis, bebidas e limpeza. Outros dois registros no ano de 2021 foram desenvolvimento de máscara com filtro e edificação hospitalar de cinco andares.

Entre os anos de 2017 e 2021, os investimentos na região Central do Estado foram destinados aos segmentos bebidas, eletricidade e gás, equipamento de transporte, automotiva, química e atendimento à saúde. Outras atividades foram construção civil e manutenção e instalação de máquinas.

Essas atividades contam com formação técnica e universitária na região central do Estado. Tal aspecto é importante para o fortalecimento do mercado de trabalho local.

No mês de julho de 2022, os investimentos no estado de São Paulo que mais se destacaram foram de energia de biomassa. Este é um setor estruturalmente estratégico, mas se tornou ainda mais estratégico com valoração crescente dos preços dos ativos.

Logo, o retorno desses investimentos foi acelerado pelas restrições e aumento de preços de gás, energia elétrica e combustíveis. O setor de biomassa tem produção economicamente sustentável. A demanda por recursos energéticos está em expansão e a produção a partir do bagaço de cana-de açúcar, palha, vinhaça e torta de filtro é um aspecto da nova economia baseada em tecnologia e sustentabilidade. Como informa o relatório do SEADE:

Segundo dados da Pesquisa de Investimentos Anunciados no Estado
de São Paulo – Piesp, de 2018 a maio de 2022 foram anunciados
R$ 5,8 bilhões de investimentos em energia de biomassa no Estado,
sendo R$ 3,0 bilhões destinados à geração de eletricidade e o restante
para produção de biocombustíveis (R$ 2,0 bilhões para etanol e R$ 773
milhões para biometano)” (https://investimentos.seade.gov.br/analise/).  

Os investimentos principais em eletricidade foram realizados pelas empresas: 1) Lara (Mauá); 2) Tereos (Barretos, São José do Rio Preto e Ribeirão Preto); 3) IBS; 4) Raízen (Guariba e Paraguaçu Paulista; 5) Zilor (Lençóis Paulistas); 6) Orizon (Paulínea). O investimento em etanol foi feito exclusivamente pela Raízen (Val Paraíso e Barra Bonita) e no segmento de biometano, as empresas que investiram foram a ZEG (São Paulo) e Coral (Marandiba).

São Paulo, Campinas, Bauru, Ribeirão Preto, Presidente Prudente e Marília foram os principais destinos dos investimentos. Essas regiões têm grande densidade populacional e de empresas sediadas.

O perfil de investimento tem definido novas demandas por qualificações de trabalho e abrem também oportunidades para novas empresas.

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Dúvidas?