Informativo Econômico ACISC n. 1

Como traduzir a diversidade produtiva de uma cidade? 

Uma forma é organizar as informações do emprego formal, que são os vínculos ocupacionais do mercado de trabalho com carteira de trabalho, e distribuí-las por subsetores. Na Tabela 1, é possível observar 24 subsetores produtivos que o Ministério do Trabalho registra os dados do emprego formal da cidade de São Carlos. 

Tabela 1 – 25 Subsetores Produtivos de São Carlos – Vínculos com trabalho Formal

Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho, MTb. 

Os setores números 1 e 24, Extrativo Mineral e Agricultura, são por natureza atividades não urbanas. 

No Informativo anterior, mostramos que 43% do emprego está registrado no setor de serviços da cidade. Na indústria encontram-se 23% do emprego e 21% está no comércio. A administração pública concentra 6% do emprego formal e outros 7% estão nas atividades de construção civil, agropecuária e serviços industriais.

Os setores de serviços em sua grande maioria não participam do comércio exterior, exceto quando se trata da venda de projetos e execução de obras e/ou atividades similares realizadas fora do Brasil. Por isso, a força econômica do setor de serviços depende da renda da população. O mesmo raciocínio vale para o comércio de produtos locais. A indústria em geral é a que mais participa do comércio exterior e, portanto, a sua capacidade de empregar depende não só do mercado interno, mas também do mercado externo.

Mesmo que muitas atividades econômicas de uma cidade não participem do comércio exterior, ou seja, não realizam diretamente exportação ou importação, essas podem trabalhar ou prestar serviços para empresas que fazem exportação/importação. Quanto maiores os vínculos produtivos com atividades internacionais de uma cidade, maiores serão as necessidades de emprego qualificado com rendimentos mais elevados do que a média local. Isso é que fortalece o consumo e promove maiores possibilidades de investimentos produtivos também em uma cidade. Além da quantidade de pessoas com rendimento, quanto maior for a média desses rendimentos, maior o potencial da demanda por bens e serviços. 

Fonte: Núcleo de Economia


Sobre
O Informativo Econômico ACISC é elaborado pelo Núcleo de Economia da ACISC em convênio com o Núcleo de Conjuntura, Finanças e Empreendedorismo do Departamento de Economia da UNESP Araraquara, sob a coordenação do Prof. Dr. Elton Eustáquio Casagrande e supervisão do Presidente da ACISC José Fernando Domingues.

 

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Dúvidas?