INFORMATIVO ECONÔMICO ACISC - 24 de novembro de 2020

A Balança Comercial de São Carlos em 2020

O Informativo Econômico analisa a balança comercial de São Carlos com intuito de demonstrar a importância do setor externo como fonte de desenvolvimento setorial.

Ao se considerar as tipologias das importações, em particular, torna-se visível possibilidades de incremento de cadeias produtivas para se agregar valor à produção nacional. Certamente, a informação é útil, mas a constituição de setores nacionais capazes de substituir as importações de alto valor agregado depende de uma política setorial que favoreça as vocações existentes. Alguns números colaboram para demonstrar o potencial.

As exportações em 2020 alcançaram US$ 372,99 milhões e as importações US$ 255,46. O saldo comercial da cidade foi positivo em US$ 117,54 o que representou quase o dobro do saldo comercial de 2019.

As exportações representaram 1% das exportações do Estado de São Paulo e 0,6% de todas as importações do Estado. São Carlos é a 24ª cidade mais exportadora do Estado e a 36ª mais importadora.

Em termos geográficos, a cidade participa do comércio exterior com países dos cinco continentes. Os destinos das maiores exportações são México, Estados Unidos, Canadá e Chile; França e Alemanha são também destinos importantes. Os demais países, como África do Sul, Egito, Senegal e Marrocos na África; China, Rússia, Japão, Filipinas, Índia, Tanzânia e Tailândia são os principais destinos no oriente.

As importações são provenientes da Alemanha, China, Estados Unidos, Canadá, com maiores participações; seguidas por França, Turquia, Suécia e Argentina.

Em termos de produtos, partes destinadas a montagem de motores foram os itens mais adquiridos do exterior, com 21% do total importado. Veios de transmissão, cambotas, virabrequins, engrenagens, rodas de fricção e mancais representaram 12% das aquisições; bombas de ar à vácuo e de outros gazes e compressores atingiram 9%; Bombas para líquidos e: fios, cabos condutores para fios elétricos e fibra ótica somaram 9,7%. Finalmente, uma quantidade variada de produtos, mas como baixo porcentual são verificados, como: materiais plásticos; instrumentos para medicina, odontologia e veterinária; compostos da indústria química, têxteis, de origem vegetal e mineral etc.

As variações das quantidades importadas, em quilogramas, refletem os efeitos sanitários sobre o mercado local. A redução das quantidades, apesar de ter ocorrido o aumento dos custos em dólar das importações não elevaram o valor total das importações. O efeito da redução dos gastos totais com bens importados representou redução de preço final do produto.

Na Tabela 1 registram-se as quantidades importadas e a variação entre 2019 e 2020.

TABELA 1 – QUILOGRAMAS IMPORTADOS

Ano

Quantidades Importadas

2019

20.851.158

2020

19.667.174

Var %

-5,68%

Fonte: SECEX. Elaboração Própria.

Com o potencial de pesquisa em muitos Institutos e Universidades, áreas para o desenvolvimento de novos fornecedores nas cadeias produtivas regionais podem surgir.

Políticas de desenvolvimento da Secretaria do Estado que fomentem ou induzam acordos privado – público para criação de novas oportunidades no mercado do produto e de serviços industriais seria um mecanismo para incrementar a realidade empresarial da cidade e região.

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Dúvidas?