INFORMATIVO ECONÔMICO ACISC – 23 de fevereiro/2021

O acompanhamento dos movimentos econômicos tem por objetivo identificar tendências para antecipação de decisões ou do melhor momento para alterar a trajetória de uma decisão anterior. No estudo sobre “Transições Ocupacionais da Região Metropolitana do Estado de São Paulo” o SEADE apresentou alterações do perfil ocupacional através da comparação dos dados do último trimestre dos anos de 2019 e de 2020. O relato da pesquisa pode ser alcançado no link: https://www.seade.gov.br/produtos2/trajetorias-ocupacionais/.

O estudo é importante para municípios com características setoriais desenvolvidas e integradas ao comércio exterior, como a cidade de São Carlos. O primeiro resultado importante dessa pesquisa extremamente recente é a constatação da redução das oportunidades de trabalho para pessoas com idade de 18 anos e mais, em 1,37 milhões de pessoas.

A taxa de desocupação na região metropolitana de São Paulo saltou de 12,4% para 18,4% em um ano, na comparação entre os dois últimos trimestres do ano. Essa evidência demonstra a importância da política assistencial, baseada no auxílio emergencial para as pessoas, na política de financiamento baseada nos recursos concedidos às empresas e o parcelamento de tributos.

Outro resultado importante é a forma de inserção das pessoas no mercado de trabalho. Cerca de 3,88 milhões de pessoas tiveram a sua inserção no mercado alterada: 1) uma em cada quatro pessoas perdeu seu trabalho; 2) 10% ficaram desempregadas e ainda continuam a procurar emprego e 14% desistiram de procurar; 3) dos que estavam desempregados em 2019, 36% conseguiram trabalho em 2020; 23% foram para a inatividade; 15% dos inativos de 2019 voltaram a trabalhar; mas 12% se tornaram desempregados. Ainda a pesquisa demonstra que as mulheres perderam mais postos de trabalho do que os homens; o contingente de jovens, de 18 a 24 anos que perderam o emprego é o dobro do número de adultos; pessoas de 60 anos e mais tornaram-se inativas em uma proporção maior do que outras faixas etárias. A saída consistente da crise sanitária continua a depender de investimentos de grande monta no Sistema de Saúde e nas condições de higiene e limpeza pessoa; além disso há evidências de que o contágio ocorre com frequência dentro dos domicílios, quando os indivíduos se sentem mais seguros.

Na cidade de São Carlos, no mês de janeiro de 2020 foram admitidos 1.644 homens e 986 mulheres; nos desligamentos ocorreram 1.353 homens e 907 mulheres. Em dezembro do mesmo ano as admissões de homens foram de 1.162 e 871 de mulheres; os desligamentos foram de 1.415 homens e 774 mulheres, respectivamente. Houve uma rotatividade maior para homens do que mulheres ao final do ano do que no início, quando mais mulheres sofreram mais com o turnover. O saldo de homens contratados em São Carlos ao longo de 2020 foi de 932 e apenas 188 para mulheres. Com relação a faixa etária, de 18 a 24 ocorreram as maiores contratações e de 50 a 64 as maiores reduções. Os dados da Tabela 1 demonstram o comportamento do saldo líquido entre admissão e desligamentos para o ano de 2020 na cidade de São Carlos.

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Dúvidas?