INFORMATIVO ECONÔMICO ACISC – 21 de setembro

Por Núcleo de Economia da ACISC

Escolaridade, Faixa Etária e Emprego

Nesta semana serão divulgados os dados do CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados das cidades brasileiras. O mercado de trabalho com vínculos formais tem demonstrado recuperação desde o segundo semestre de 2020.

Uma das preocupações centrais dessa recuperação refere-se à condição de empregabilidade das pessoas, segundo a escolaridade e faixa etária. A escolaridade se justifica porque é um dado que traduz o grau de desenvolvimento de um país. Para as empresas, a escolaridade está associada ao desempenho do indivíduo em sua ação econômica.

A escolaridade e o desenvolvimento são temas que se reforçam. A formação ou educação formal é um meio que contribui com todos os aspectos da independência dos indivíduos e favorece a interação social.

Escolaridade e renda são temas estudados no mercado de trabalho em todos os continentes e independente das medidas, o fato é que a educação é a base que assegura o desenvolvimento das gerações atual e futura. Em particular, na adaptação ao mundo do trabalho.

Uma maneira de visualizar a relação escolaridade, faixa etária e rendimentos formais é através do CAGED. No mercado de trabalho com vínculos formais, ocorreram 3.212 admissões e 2.360 desligamentos. Felizmente, o saldo foi positivo em 857 contratos.

Do total de admitidos, 60,7% foram homens, ou seja, 1.954. O total de mulheres admitidas atingiu 1.263. Do total de desligados, 62,5% foram homens. O total de mulheres desligadas dos vínculos de trabalho foi de 885.

Dos desligados, 57%, ou 1.360 tinham o ensino médio completo. A segunda faixa de escolaridade com maior demissão foi do ensino fundamental completo: 404 pessoas ou 17% das demissões. 

 As duas faixas etárias com maiores números de desligamento foram: 1) de 30 a 39 anos, com 694 demissões; 2) de 18 a 24 anos, com 600 demissões.

Dos admitidos, 1.919 ou 59,6% tinham o ensino médio completo; e 502, que corresponde a 15,6% das admissões tinham o fundamental completo. Em termos de faixa etária, o maior número de admissões ocorreu de 18 a 24 anos. Foram 1.021 contratados que correspondeu a 31,7% do total de admissões; e a faixa com segundo maior número de admissões ocorreu entre 30 e 39 anos: 876 pessoas ou 27,2% das admissões.

Nota-se claramente que ao longo de 2021 ocorreram movimentações concentradas em duas faixas etárias, de 18 a 24 e de 30 a 39 anos. As empresas também movimentaram trabalhadores, tanto na admissão quanto na demissão, com escolaridade no ensino fundamental e médio completo.

O número positivo do saldo acumulado de empregos, a continuar, poderá fortalecer os rendimentos para os períodos futuros e o poder de compra da população.

O desafio do mercado de trabalho com vínculos empregatícios é o aumento dos rendimentos nominais e reais que irão favorecer a surgimento de novas oportunidades e a própria empregabilidade.

 

 

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Dúvidas?