INFORMATIVO ECONÔMICO ACISC – 17 de setembro

Fonte: Núcleo de Economia ACISC

A conjuntura econômica pode ser compreendida a partir de dois grandes conjuntos de dados agregados. O primeiro refere-se aos indicadores macroeconômicos, organizados na Tabela 1.

A inflação é acompanhada para que seja possível mensurar a evolução dos rendimentos (salários, juros, dividendos, renda da terra e aluguéis) em termos reais. O aumento do poder de compra dos rendimentos acontece quando os valores descontados da inflação de um período se tornam maiores do que os mesmos rendimentos dos períodos anteriores.

A variação do PIB é relevante porque informa o conjunto de riqueza gerada no esforço produtivo. Se a taxa de crescimento do PIB for menor do que a taxa de crescimento da população, a sociedade, em termos per capita, empobrece!

Os indicadores de produção industrial, volume de bens comercializados e de serviços prestados. Esses indicadores demonstram o comportamento cíclico de ajustes do consumo das famílias, dos estoques das empresas e do movimento em relação a períodos mais longos, como de 12 meses e dentro do ano.

Logo, a variação de qualquer indicador econômico em relação ao mês anterior ou em relação ao ano anterior não é uma medida segura para análise absoluta. Dentro do ano de 2021, os indicadores demonstram recuperação, o que explica o crescimento do emprego formal e uma queda discreta da taxa de desemprego.

A Tabela 2 informa um pequeno conjunto para ilustração de desempenho do mercado acionário. São ações de empresas listadas na Bolsa de Valores segundo alguns subsetores. Na B3 existem 688 empresas listadas, com emissão de ações e debêntures.

Os retornos das aplicações em ações e em portfólios dependem do comportamento do setor, concorrência, preços nacionais e internacionais e da macroeconomia.

A estabilidade econômica e política são os maiores determinantes do comportamento favorável às rentabilidades e lucratividades das aplicações e dos ativos produtivos, no enfoque fundamentalista.

Em termos de correlação dos indicadores, é esperado que: quanto mais estável a inflação e dentro da meta definida pelo Comitê de Política Econômica; taxa de juros Selic próxima da taxa de juros internacional; taxa de desemprego com tendência de queda e crescimento do mercado formal de trabalho, tanto melhor serão o ambiente de negócios e o desempenho das empresas de capital aberto.

Segundo a Tabela 2, os ganhos dentro de 12 meses são bastante atrativos e quando se observa os indicadores econômicos de 12 meses da Tabela 1, percebe-se também aspectos positivos da macroeconomia brasileira.

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Dúvidas?