Valor Exato: índice de endividamento

Nas últimas edições do Valor Exato tratamos da margem de lucro, do giro do ativo, da taxa de retorno, da liquidez e agora abordaremos o endividamento. Na Figura 1 explicamos mais uma vez os índices utilizados e o escolhido para esta edição.

O grau de endividamento de uma empresa, em um dado momento, deve ser comparado com períodos anteriores para que o interessado consiga extrair uma interpretação. O endividamento pode aumentar em função: 1) da maior necessidade de financiamento de curto prazo para financiar atividades operacionais produtivas; 2) de investimentos em ativos imobilizados cujo valor excedam a capacidade de autofinanciamento. 
Quanto maior o endividamento, maiores serão lucros e a liquidez, ambos futuros. Isso porque o endividamento se justifica pela necessidade de aplicar recursos em atividades que geram lucros. Mas, uma outra situação também explica o endividamento: a redução das vendas e/ou atrasos e inadimplência de clientes.
Nesse último caso, se uma empresa não mantém um capital de giro (líquido) adequado (ativo circulante – passivo circulante) e dependa de empréstimos e financiamentos bancários de forma regular, não há outra conclusão senão a de que as despesas estão maiores do que as receitas.
O princípio para contratar recursos junto ao mercado financeiro ou a outras fontes de financiamento, como por exemplo fornecedores, se deve pelas oportunidades de ganhos. Logo, os retornos a serem alcançados com as diferentes fontes de financiamento devem superar os seus custos. É dessa forma que a liquidez aparecerá! 
Quando a captação é feita porque as despesas cresceram mais do que as receitas, então a empresa está desequilibrada em termos econômicos.
Uma última menção é importante sobre atrasos e inadimplência de clientes: neste caso a empresa deverá ajustar suas despesas e avaliar criteriosamente sua política comercial. Isso é inevitável para reduzir a dependência de recursos bancários, caso o aumento do endividamento seja de natureza financeira.


Sobre
O Informativo Econômico ACISC é elaborado pelo Núcleo de Economia da ACISC em convênio com o Núcleo de Conjuntura, Finanças e Empreendedorismo do Departamento de Economia da UNESP Araraquara, sob a coordenação do Prof. Dr. Elton Eustáquio Casagrande e supervisão do Presidente da ACISC José Fernando Domingues.

 

 

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Dúvidas?