ACISC

Banco de Curriculos

 

Informativo Econômico ACISC n. 14 - Número de empresas em São Carlos e sua importância

 
07/06/2017
 

Ações de planejamento garantem melhor desempenho aos negócios locais e geram benefícios para a economia do município.


INFORMATIVO ECONÔMICO ACISC

Ano 1, N.14, Junho de 2017


Igor de Souza Theodoro - discente do Curso de Ciências Econômicas

Prof. Dr. Elton Eustáquio Casagrande - Coordenador do Convênio


Número de empresas em São Carlos e sua importância.

De acordo com os dados atualizados em março de 2017, a cidade de São Carlos conta com 27.363 microempresas ou empresas de pequeno porte com sede na cidade.


As microempresas são aquelas com receita bruta anual igual ou inferior a R$ 360.000,00 e as empresas de pequeno porte aquelas com receita bruta anual superior a R$ 360.000,00 e igual ou inferior a R$ 3.600.000,00.

Esse número representa 93,2% do total de empresas ativas na cidade e compreende os seguintes tipos jurídicos: Sociedade Anônima, Sociedade Empresária Limitada, Empresas Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI), Micro Empreendedor Individual (MEI), Empresário Individual, Sociedade Simples, Cooperativa, Consórcio, Sociedade em Comandita e Sociedade Estrangeira. Essas empresas se dividem pelos diversos setores da atividade econômica e podem ser divididas por seções, segundo a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE).

A seção que representa o maior número de empresas (11.323) no município é a "G - Comércio; Reparação de Veículos Automotores e Motocicletas". Essa seção compreende as atividades do comércio varejista e por atacado, exceto de veículos automotores e motocicletas; e também as atividades de comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas. As atividades de comércio varejista e atacado representam mais de 70% da seção "G".


O gráfico abaixo mostra o número de microempresas e empresas de pequeno porte por seção da atividade econômica:





O número de empresas

Em 2015, São Carlos contava com 23.580 empresas ativas, e no ano seguinte esse número aumentou para 26.577. Apesar do aumento no número de empresas no período, algumas também fecharam, por exemplo, em 2015, houve a mortalidade de 987 empresas, e em 2016 esse número caiu para 621. Em 2017, até março, foram encerradas 75 empresas.


Confira esses números, a partir do ano de 2014, nos gráficos a seguir.





O número cada vez maior de empresas em um município é muito importante para o desenvolvimento local e regional. As empresas, sejam elas produtoras de bens ou serviços, empregam mão de obra e demandam insumos para operar, além de pagarem impostos.


A mão de obra recebe renda, que se traduz em gastos do cotidiano que movimentam a economia local. Os insumos demandados movimentam as outras atividades que produzem e/ou comercializam tais insumos, ativando diversas cadeias produtivas. E os impostos pagos são importantes para a composição da receita do governo.


Tais empresas, no entanto, podem se diferenciar em nível de tecnologia. Quanto mais tecnológico o empreendimento for, maior a demanda por profissionais cada vez mais qualificados, que por sua vez têm remuneração maior em relação às outras atividades, além de gerar maior volume de dinheiro com impostos.


Como consequência, o município se beneficia da maior remuneração de colaboradores mais qualificados, uma vez que a renda disponível será maior, e do maior volume de recursos arrecadados a partir do maior valor agregado dos produtos finais. Esses são dois motivos que representam a importância do incentivo às atividades produtivas com teor cada vez mais tecnológico e com produção com valor agregado cada vez maior.


As empresas de alta tecnologia são importantes, entre outros motivos, porque criam produtos similares a produtos internacionais que normalmente são mais avançados do ponto de vista tecnológico e, portanto, mais eficientes. A criação de tais produtos similares pode levar à substituição de certas importações e a autonomia tecnológica dessas empresas nacionais pode permitir sua entrada em mercados externos.


É importante ressaltar que esse tipo de empresa requer mão de obra altamente qualificada e que existe oferta desse tipo de mão de obra no município devido à existência das grandes universidades instaladas em São Carlos. Para que o número de empresas seja cada vez maior, a cidade deve se desenvolver considerando a infraestrutura para os negócios.


Para que seja atrativo e facilite a produção e escoamento de produtos, o município deve investir na infraestrutura necessária para comportar tanto as empresas tradicionais, que ainda são a maioria dos negócios locais, quanto as de alta tecnologia. É ela que garantirá que os negócios instalados no município possam funcionar de maneira ideal, trazendo todos os benefícios do desenvolvimento da economia local.


São ações que, através de planejamento, garantem melhor desempenho para os negócios locais e, portanto, geram benefícios para a economia do município.


Fonte: EmpresômetroMPE.



O Informativo Econômico ACISC é elaborado pelo Núcleo de Economia da ACISC em convênio com o Núcleo de Conjuntura, Finanças e Empreendedorismo do Departamento de Economia da UNESP Araraquara, sob a coordenação do Prof. Dr. Elton Eustáquio Casagrande e supervisão do Presidente da ACISC José Fernando Domingues.

Certificado Digital

 

Portal Educação