ACISC

Banco de Curriculos

 

Informativo Econômico ACISC n. 12 - Emprego formal em Janeiro de 2017 e resumo de 2016.

 
28/03/2017
 

O mercado de trabalho formal da cidade de São Carlos começou o ano de 2017 demitindo mais do que admitindo.


INFORMATIVO ECONÔMICO ACISC

Ano 0, N.12, Março de 2017

Igor de Souza Theodoro - discente do Curso de Ciências Econômicas

Prof. Dr. Elton Eustáquio Casagrande - Coordenador do Convênio

Emprego formal em Janeiro de 2017 e resumo de 2016

O mercado de trabalho formal da cidade de São Carlos começou o ano de 2017 demitindo mais do que admitindo. Foram registrados 124 postos de trabalho a menos no total da economia formal local. Os setores que tiveram saldo negativo, ou seja, demitiram mais do que admitiram, foram a construção civil (-34), comércio (-122) e serviços (-3). O setor da indústria criou 33 novos postos de trabalho e a agropecuária criou mais 2.

Mesmo que o saldo tenha permanecido negativo, janeiro de 2017 demonstrou resultado melhor do que de 2016, quando 144 postos de trabalho foram fechados. O número fica ainda melhor quando comparado com os últimos dois meses de 2016, quando foram fechados 328 e 687 postos de trabalho, respectivamente.

São Carlos contou, portanto, com 72.162 pessoas empregadas com carteira de trabalho assinada no final de janeiro do ano atual. Esses trabalhadores se dividem pelos diversos setores da economia, sendo que 46% deles estão no setor de serviços, 26% na indústria, 21% no comércio, 4% na construção civil e 3% na agropecuária. Números de cada setor no Gráfico 1 a seguir.

 

Gráfico 1 - Número de trabalhadores formais por setor da economia



Resumo 2016

O número de trabalhadores do mercado de trabalho formal de São Carlos finalizou o ano de 2016 com 72.286 pessoas empregadas. Esse número foi o resultado de uma movimentação negativa do emprego durante o ano, que fechou 2.460 postos de trabalho formal na cidade. Apesar dos primeiros quatro meses do ano terem sido marcados por estabilidade no emprego, a partir de maio as demissões começaram a superar as admissões, mantendo esse saldo negativo durante todos os meses até dezembro. O Gráfico 2 a seguir mostra o estoque de trabalhadores com carteira assinada em São Carlos, mês a mês. O Gráfico 3 mostra o saldo das admissões e demissões no mercado de trabalho formal, mês a mês.



No ano passado, todos os setores da economia local contribuíram para o resultado negativo no número de trabalhadores com carteira assinada do município. Foram 807 postos de trabalho a menos na indústria, 226 na construção civil, 299 no comércio, 795 nos serviços e 333 na agropecuária. Quando comparado o número total de postos de trabalho que foram perdidos com o contingente total de trabalhadores com carteira assinada, a perda de 2.460 vagas representou uma diminuição de 3,3% no número de trabalhadores formais da cidade.

Ao relacionar o número de postos de trabalho que foram perdidos em cada setor com o número total de empregados no respectivo setor, é possível verificar que, apesar da indústria ter perdido 807 vagas, a agropecuária foi a que mais perdeu empregos em termos relativos. O setor da agropecuária teve uma redução de 11,9% no seu estoque de emprego formal, enquanto a indústria finalizou o ano de 2016 com 4,1% trabalhadores a menos.  A construção civil foi o segundo setor que mais demitiu, em termos relativos, diminuindo o seu número total de trabalhadores em 7,7%. O comércio e serviços diminuíram seus estoques de trabalhadores em 1,9% e 2,3%, respectivamente.

O acompanhamento do emprego formal na cidade é feito através da análise das publicações mensais do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), levando em consideração as declarações dentro e fora do prazo.

O Informativo Econômico ACISC é elaborado pelo Núcleo de Economia da ACISC em convênio com o Núcleo de Conjuntura, Finanças e Empreendedorismo do Departamento de Economia da UNESP Araraquara, sob a coordenação do Prof. Dr. Elton Eustáquio Casagrande e supervisão do Presidente da ACISC José Fernando Domingues.

Certificado Digital

 

Portal Educação