ACISC

Banco de Curriculos

 

13º salário injeta R$ 450 milhões na região

 
17/12/2009
 

Em 2009, mais de R$ 450 milhões serão injetados nas principais economias da região Central do Estado de São Paulo, com o 13° salário. O número representa um acréscimo de 10,5%, frente ao injetado nas economias em 2008, onde os valores foram cerca de R$ 410 milhões.

O cálculo, para 2009, é feito a partir do produto entre o número total de empregados formais, neste ano, com o salário médio de 2008, corrigido pela inflação daquele ano (Inflação do ano anterior é a que corrige salários do ano presente). Para isso, são utilizados dados oficiais do Ministério do Trabalho e do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O substancial aumento para 2009 é justificado pelo saldo positivo na formação de empregos formais nos municípios calculados. Araraquara, por exemplo, teve o maior saldo empregatício dentre todos os municípios da Região, foram 4.894 novos postos de trabalho com vinculo empregatício formal. Desta forma, a cidade tornou-se a principal detentora de trabalhadores com carteira assinada, com 66.917 trabalhadores contra 66.159 de São Carlos. Uma das conseqüências desse aumento do emprego, em Araraquara, é que em dezembro de 2009 a economia da cidade será incrementada com mais de R$12 milhões, um acrescimento de 14,25% frente a dezembro de 2008. No total, serão injetados na economia araraquarense R$ 100.899.150,95.

Mesmo a cidade de São Carlos contratando apenas 621 postos de trabalho a mais que demitindo, em 2009, a economia da cidade é a que mais receberá com o 13° salário de sua população, cerca de R$110 milhões. O um acréscimo de R$ 7 milhões significa um aumento de 6,9% comparado a dezembro de 2008. Essa liderança mantém-se devido a São Carlos possuir a maior média salarial, dentre os municípios da Região Central, ou seja, R$ 1.581,90.

Outro destaque fica por conta de Leme, cidade a qual se observa maior crescimento percentual do valor injetado com o 13° salário de 2009, comparado a 2008. Serão R$ 23.501.316,77 neste ano, frente a R$ 20.278.414,98 do ano anterior, o que significa um crescimento de 15,89%.

É importante salientar que além da renda formal há outros rendimentos, como lucros, juros aluguéis e rendimentos do setor informal da economia. Dessa forma, a expansão do setor formal também indica que os outros rendimentos se beneficiaram. O mercado interno tem motivado a expansão da economia substituindo em parte as exportações que tem sofrido com a apreciação da taxa cambial.

*Por Jaime Vasconcellos do Santos

Aluno de Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP) - Campus Araraquara. E-mail: vasconcellosjaime@gmail.com - Pesquisador do Núcleo de Conjuntura e Estudos Econômicos - NCEE.





Certificado Digital

 

Portal Educação