ACISC

Banco de Curriculos

 

Esteja preparado para as despesas de final de ano

 
15/09/2008
 

Final de ano é sinônimo de festas e aumento de consumo, mas também é época de despesas extras para os empresários, como o pagamento do 13º salário e de férias. A boa notícia é que aqueles que não conseguiram investir no planejamento financeiro desde o início do ano ainda têm tempo de fechar 2008 com as contas equilibradas.

"A esta altura, o empresário precisa analisar todas as alternativas a seu alcance, porque ainda tem tempo de tomar decisões, escolher entre diversas opções e montar planos contingenciais", afirma o consultor administrativo do SEBRAE - SP Sergio Diniz.

Em primeiro lugar, recomenda o consultor, o empresário precisa fazer uma estimativa de quais despesas terá, quanto vai gastar de 13º - cuja primeira parcela tem que ser paga até 30 de novembro, e a segunda, até 20 de dezembro - e qual será o custo com férias. "Caso não tenha feito uma provisão ou uma poupança, vai precisar buscar uma compensação em vendas", diz o consultor. "Terá que montar uma estratégia de marketing e comercial de tal maneira que possa ter um resultado para cobrir esse valor", completa.

É o momento de usar a criatividade, tendo em vista que grande parte das atividades tem no final de ano o seu momento de pico, como é o caso do comércio e de uma boa parte dos serviços.

Uma recomendação do especialista é recorrer aos históricos de anos anteriores, ou seja, verificar qual foi o comportamento do mercado nesse período em outros anos, e qual está sendo a tendência de comportamento de seu mercado no momento atual. "Esse pode estar retraído, passando algum período de crise ou entressafra, então, é preciso ter cuidado de não comprar mais do que pode pagar, pois o empresário estará assumindo junto a seus fornecedores despesas que podem causar um desequilíbrio no seu fluxo de caixa", lembra Diniz.

Também é prudente negociar com fornecedores para evitar situações como fazer uma compra de mercadoria ou matéria-prima cujo pagamento coincida com a época em que tem que pagar o 13º e férias.

Contratação

Outra preocupação comum nesta época, principalmente em setores como o comércio, é em relação à contratação de temporários. "Essa pode ser outra despesa que pode onerar a empresa. Quando contrata, o empresário vai assumir não apenas o pagamento do salário, mas outras despesas como vale-transporte, alimentação e outras obrigações contratuais", acrescenta Diniz.

Para a empresária Fabiana Tichauer, da Doctor Clean, que fabrica produtos de higienização para uso médico e odontológico, a chave de tudo está no planejamento. Após 15 anos de atividades, os cinco últimos marcados por grande expansão, que exigiu contínuos investimentos em equipamentos e capacitação de funcionários, ela e o marido e sócio Walter, decidiram iniciar uma reserva mensal para os gastos de final de ano. "No nosso caso, além das despesas comuns a outras empresas, temos de arcar com o pagamento do dissídio da categoria dos químicos, que é reajustado em novembro", conta Fabiana. No ano que vem a empresária conta que pretende iniciar essa provisão já no início do ano, que é a orientação dada pelos consultores.

Em último caso, o empresário pode recorrer aos empréstimos bancários. Muitos bancos já oferecem linhas especiais de empréstimo para cobrir a folha de pagamento, que costumam ser menos pesados que as operações comuns de capital de giro ou de cheque especial. Essa opção é somente no caso de o empresário conseguir obter uma condição de fato vantajosa. Quem deixa para resolver tudo na última hora muitas vezes não consegue nem negociar essas condições.

Serviço:

Mais informações pelo telefone 0800 570 0800.

Certificado Digital

 

Portal Educação